Últimos Conteúdos

Como fazer Overclock

O overclock consiste em alterar as propriedades e configurações de equipamentos de hardware, no intuito de deixá-los mais rápidos, ou, como muitos dizem, "turbinados". Este tutorial mostra os principais conceitos necessários para executar overclock em processadores. Espera-se que o leitor deste artigo tenha noções básicas do funcionamento de um computador e que já tenha uma certa experiência em nível técnico.

Riscos

O primeiro passo é ter noção dos riscos e possíveis conseqüências:

1- o tempo de vida útil dos equipamentos pode ser reduzido severamente com o overclock. Muitos adeptos dizem não considerar esse ponto por que não pretendem fazer com que os componentes "durem para sempre...";
2- as chances de queimar o processador, memórias e até a placa-mãe são grandes;
3- pode ser que o overclock deixe o computador instável, a ponto de ficar lento.
Os riscos dos equipamentos queimarem ou perderem tempo de vida útil existem porque ao fazer overclock, muitas vezes será necessário alterar a voltagem dos componentes, o que resulta em aumento da temperatura. Isso deixa claro que, dependendo do overclock, será necessário adquirir coolers ou outros sistemas de refrigeração. Por estas razões, este tutorial trabalha com valores com uma margem de segurança.

Termos

Antes de começar é necessário ter conhecimento dos seguintes termos, pois eles serão úteis:

Clock - é a velocidade interna do processador, medida pela velocidade do FSB (visto abaixo) vezes o valor do multiplicador, que é definido pelo BIOS;
Ciclos de clock - consiste nos intervalos de tempo que o processador usa para executar suas instruções;
FSB - significa Front Side Bus e tem a função de definir a velocidade externa do processsador, ou seja, a velocidade na qual o processador se comunica com a memória e componentes da placa-mãe. As velocidades do FSB são as seguintes: 100 MHz, 133 MHz e 166 MHz. Valores mais altos costumam existir, mas geralmente são gerados através da multiplicação destes citados;
Vcore - é voltagem do equipamento.

Hardware x Overclock

Não são todos os equipamentos que permitem fazer overclock. Há também aqueles em que é possível, mas os riscos são tão altos que não valem a pena. Em processadores antigos o resultado do overclock pode não ter nenhum aumento de velocidade que seja significante, tais como em Pentium e K6-2. Se seu computador é um pouco mais antigo, este tutorial poderá lhe servir, mesmo que o resultado não seja o esperado.
O processador é sem dúvida, o item que mais sofre overclock. No entanto, sem uma placa-mãe com o mínimo de qualidade o overclock pode não valer a pena, principalmente se a placa-mãe tiver vários componentes onboard. Os fabricantes mais confiáveis são os seguintes: Asus, Abit, Gigabyte, MSI, Soltek e Soyo. No entanto, é necessário ter ciência de que outros fabricantes podem ter modelos de placa-mãe bons para overclock e que os citados aqui podem ter modelos inviáveis à técnica. O ponto chave é o chipset da placa, informado no manual da mesma. Antes de realizar overclock pesquise se seu modelo de chipset ou até mesmo o modelo da placa-mãe é adequado ao overclock.
Conforme já foi dito antes, é necessário estar atento ao cooler, principalmente quando o processador pertence à linha Athlon, da AMD. Estes costumam aquecer bastante. Esteja certo de que o cooler seja o modelo adequado ao processador do computador. Em alguns casos é necessário instalar equipamentos extras de refrigeração no gabinete, pois o calor interno pode ainda ser grande.

Fazendo o overclock
Para realiazar o overclock é necessário trabalhar com as configurações do Setup do BIOS, geralmente acessível teclando-se o botão delete assim que o computador é ligado. Dependendo da marca de seu computador, o acesso ao Setup pode ser feito por meio de outra tecla. Consulte o manual ou suporte do fabricante caso não saiba acessar o Setup de seu computador.

Ao entrar no Setup, você verá uma série de itens. Procure um que trate do processador. Geralmente o nome desse item é ou assemelhá-se a "Processor Settings" ou a "CPU Setup" ou ainda "Features Setup". Ao conseguir entrar neste item aparecerá uma valor multiplicado por outro. Trata-se da operação FSB x multiplicador= clock, onde multiplicador é um valor numérico. Repare que o valor resultante dessa multiplicação é valor do clock do processador. Agora vamos ao overclock. Iremos utilizar como exemplo um overclock realizado num Pentium 4 de 1.6 GHz. Sua configuração FSB x multiplicador é:

100 MHz x 16 = 1.6 GHz ou 1.600 MHz
Para o overclock, o FSB foi mudado para 133 MHz (geralmente é possível mudar esse valor através das teclas de seta ou dos botões Page Up e Page Down em seu teclado):
133 MHz x 16 = 2.1 GHz ou 2.128 MHz
Relembrando, o FSB do seu computador pode estar em outro valor. Se estiver em 400 MHz por exemplo, ele é multiplicado por 4 (100 MHz x 4 = 400 MHz). No exemplo, é notório o ganho de desempenho. O Pentium 4 de 1.6 GHz pulou para 2.1 GHz.

Agora vamos mostrar um exemplo em um processador Ahtlon XP 1600+ MHz. Na verdade, este processador opera em 1.400 MHz, mas a AMD uma o símbolo + para dizer que o modelo, mesmo operando em 1.400 MHz, equivale a um Pentium 4 de 1.600 MHz.
Em nosso exemplo, este processador trabalha na seguinte configuração:
133 MHz x 10.5 = 1.4 GHz ou 1.396.5 MHz
Alterando o FSB de 133 para 166 MHz, o resultado é:
166 MHz x 10.5 = 1.7 GHz ou 1.743 MHz

Um ganho considerável. Em alguns casos, pode-se alterar o valo do multiplicador, mas é necessário pesquisar para saber se isso realmente é possível em seu processador. Na maioria das vezes, aumentando este valor, o computador pode acusar erro ou continuar trabalhando com o multiplicador anterior. Por isso, o mais adequado mesmo é alterar o valor do FSB. Uma dica interessante é que quanto maior o multiplicador vindo de fábrica, maiores são os aumentos de desempenho através de overclock.

Alterando o Vcore
O overclock poderia ter parado na explicação anterior, mas é possível aumentar mais ainda a velocidade do computador, alterando seu Vcore (voltagem). As instruções que o processador executa são realizadas por meio de pulsos elétricos. O intervalo entre os pulsos (ciclo de clock) é importante para a velocidade do processador. Alterando a voltagem do equipamento, é possível diminuir o intervalo entre os pulsos. Quanto menor este intervalo, mais rápido fica o processamento. Assim, se a voltagem for diminuída o ciclo de clock fica mais lento. Como nosso intuito é aumentar a velocidade, o valor do Vcore deve ser aumentado. Deve-se ficar atento a esta operação, pois qualquer exagero ou precipitação poderá causar danos irreparáveis ao hardware. Por isso, a alteração da voltagem deve ser feita em diferenças entre 0.1v e 0.05v. Em algumas placas é até possível ajustar para 0.025v. Infelizmente não é possível medir com precisão o aumento da velocidade do computador, pois isso varia muito.

O valor do Vcore pode ser alterando também pelo Setup do BIOS. No entanto, em alguns modelos de placa-mãe menos recentes, essa alteração deve ser feita mudando a posição de um jumper na placa-mãe, portanto, verifique sempre o manual da mesma, para saber qual o procedimento que cabe a ela.

Ao fazer overclock mudando o Vcore, a temperatura do processador certamente vai aumentar. Daí a necessidade de um cooler "poderoso". Para se ter uma idéia, a questão da temperatura é tão importante que os fabricantes compensam o constante aumento de velocidade de seus chips, fabricando-os com tecnologias de 0.18, 0.13 microns e futuramente valores menores. Isso deixa claro que com a combinação perfeita do overclock com o cooler adequado, o aumento de performance pode ser muito alto.

Finalizando
Não só o processador, mas a memória e outros componentes, podem sofrer overclock. Repare que para os procedimentos explicados aqui, foi necessário alterar somente os valores do BIOS relativos ao processador. Com as memórias isso também é possível (e um tanto mais complicado). Logo, pesquisando e estudando a maneira certa, você pode se aventurar no overclock de memória também.

O overclock em computadores menos recentes é um pouco mais complicado, pois exige a alteração de jumpers, além das alterações no BIOS. E nem sempre, o ganho de desempenho corresponde a um valor significativo. Por isso este tutorial foi baseado em modelos mais recentes.

E gostaria de finalizar fazendo a sequinte pergunta:
Vale apena fazer um Overclock e colocar em risco seu Hardware?

Nenhum comentário